para compartilhar sabores e lembranças olfativas daqui e de outras terras...como o nhoque da nona, o arroz com bacalhau de vovô, as almondegas de minha mãe, o risoto de linguiça do meu pai, o thanksgiving dinner da mammy, o german chocolate cake da cindy, o doce de leite de tia mercedes, o doce de cidra da aninha, o doce de mamão da célia, o doce de pera da margarida, as pimentas da celha, os bolos da semiramis, os patês da rosana e por ai vai....


segunda-feira, 17 de outubro de 2016

pão branco com mel - o pão de numero 150

no  oitavo ano de blog atingi 150 pães...
nem era a minha meta ter um blog direcionado, mas foi acontecendo, acabei meio que virando referencia para pães da blogsfera, o que não me desagrada, alias me enchem de orgulho, afinal  pessoas de norte a sul me consultam in box, via whatsApp, e mail pedindo orientações e dicas.
não sou especialista, longe disto, sou apenas uma padeira amadora, experiente em panificação artesanal e feitura de massa de pão à mão,  afinal no ano que vem vou comemorar meu jubileu de ouro, serão 50 anos fazendo pão caseiro.
confesso que nos últimos anos, fui aprimorando meus pães, com as novas aventuras na fermentação lenta, fermentação natural, fermentação com uso reduzido de fermento e fermentação controlada.
também tenho utilizado uma grande variedade de farinhas e grãos e experimentado novos métodos de sova.
tudo isto só foi possível, porque hoje tenho mais tempo.
tempo e calma na panificação são certezas de bons resultados.
também tenho criado várias receitas a partir de aproveitamentos, o que me da grande satisfação, pois detesto desperdícios.
o pão desta data comemorativa é um pão de aproveitamento, de um restinho de mel que ficou cristalizado no fundo do vidro,  a solução foi colocar um pouco de agua quase quente para diluir e completar com a agua mineral (temperatura ambiente) que usaria na receita e usar o liquido peneirado para evitar eventuais cristais.
rendeu um pão macio, com um toque de mel e ficou com uma cor linda (o que não tem nada a ver com mel, pura coincidência), assim nasceu o pão de numero 150.
tenho muitos pães na fila de postagem mas achei que este seria um pão interessante para a data comemorativa. 
participei com este pão na Ciranda de Receitas.
a Lylia do blog Simples Assim, minha amiga de longa data, idealizadora e coordenadora da Ciranda, por mero caso, hospedou esta receita neste link aqui.

pão branco com mel

4 xícaras de farinha de trigo branca (aproximadamente)
1 colher de sopa rasa de sal
3 colheres de sopa de mel
4 colheres de sopa de azeite 
300 ml de agua mineral
1 colher de sobremesa de fermento seco biológico

junte o mel e a agua (peneire em malha fina) e o azeite num copo medidor e bata ligeiramente com garfo ou fouet.
misture  os secos,  reservando mais ou menos 1 xícara de farinha para a sova, faça uma cova despeje os liquido do copo medidor, misture bem e sove, agregando a farinha reservada, por alguns minutos até ficar uma massa lisa e macia. 
deixe a massa descansando por pelo menos 3 horas, depois deste período abaixe a massa a cada meia hora , repita o procedimento por duas ou três vezes, sempre usando o mínimo de farinha possível. 
modele o pão com desejar, peneire farinha, faça os cortes e deixe crescer por mais uns 30 minutos, em seguida leve ao forno pré  aquecido e assar até ficar bem dourado. 


  • quem faz pão sempre comenta que a quantidade de farinha depende de algumas variáveis, como por exemplo o grau de umidade da região onde a pessoa se encontra e a qualidade da farinha, pois uma farinha escura, velha e pobre em proteína não dará um bom retorno, procure farinha com data recente de fabricação, leia o rotulo e quando encontrar uma boa farinha e se ajustar com ela, não a abandone, reserve para os seus pães, farinha para bolo é muito mais fácil de achar, vai por mim...
  • toda vez que usar azeite, que é mais espesso que óleo, recomendo "diluir" no outro veiculo liquido, pois se isto não ocorrer, corre-se o risco do azeite encapar as moléculas do glúten e não permitir o crescimento adequado,
  • este pão foi feito com uma sobra de mel que açucarou no fundo do vidro, para diluir usei agua  aquecida, depois que soltou bem, peneirei usando uma peneira de malha fina, aguardei a mistura esfriar antes de agregar o azeite
Bookmark and SharePrint Friendly and PDF

16 comentários:

  1. Ângela,
    Cento e cinquenta pães é um repertório e tanto!
    Isso mostra o empenho, a experiência, a criatividade, o aproveitamento, mas, acima de tudo, o prazer de fazer pães!
    Acho suas dicas preciosas e, tendo provado alguns de seus pães, posso afirmar que você é referência sim nessa arte.
    Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. grata querida amiga, fico feliz em te agradar com os meus pães, quando tenho o prazer de tê-la por perto e que mesmo de longe você curte as minhas dicas. grata pelo seu carinho de sempre. beijos

      Excluir
  2. Adoro o sabor sutil que o mel proporciona, ficou lindo teu pão Angela e mais uma vez parabéns pela gratificante conquista, 150 pães é uma bela marca.
    Boa semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu também aprecio muito a sutileza do mel, grata e um beijo

      Excluir
  3. Que bonito que ficou seu pão!!! Adorei as dicas no final!!!! Bjks

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. grata, fico feliz que tenha gostado das dicas, beijos

      Excluir
  4. 150 é um belo número muitos parabéns.
    O seu pão ficou lindo demais.
    Boa semana

    ResponderExcluir
  5. Parabéns por seu pão de número 150, angela! E foi com orgulho que o recebi no Simples Assim.
    Você, realmente, é referência para todos nós blogueiros quando o assunto é pão. Por sinal não só de pão rsrs De culinária em geral.
    Bj e que venham mais e mais pães perfumar nossa blogosfera,
    Lylia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. grata querida amiga pelo seu carinho, foi bom mesmo você ter hospedado este pão, também adorei, beijos

      Excluir
  6. Que pão lindo, Ângela!! E puxa, 150 pães realmente não é para qualquer um!!! Depois de um tempão afastada da blogosfera, estou de volta... vou ficar muito feliz em receber sua visita no meu cantinho!
    Bjo grande!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. que bom te ver de volta por aqui, seja sempre bem vinda, vou lá conhecer o seu cantinho, bjs querida!

      Excluir
  7. Ola parabens Gina! Sou sua fa. Ja fiz muitos paes daqui, mas os preferidos sao o de trigo de quibe hidratado e o de fuba. Me identifiquei demais com a historia desse pao hahaha pois to com um finalzinho de mel cristalizado aqui. Porem fiquei em duvida sobre o tempo de descanso. No total seriam 4hs e 30 minutos? Apos as primeiras 3hs, a cada meia hora abaixa a massa somente ou abaixa e modela uma bola novamente? Um abraco Miriam

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. o primeiro descanso deve ser de umas três horas, depois a cada meia hora mais ou menos abaixa a massa e boleia, isto por umas três vezes, o tempo total de beira uma 5 horas. grata por visitar sempre e testar as receitas. um abraço, angela

      Excluir
  8. Angela, parabéns pelos 150 pães! É um lindo trabalho! Mas... tenho uma consulta! O sistema de deixar o pão crescer um pouco, dobrar a massa e deixar crescer por mais tempo pode ser aplicado a qualquer tipo de massa?

    ResponderExcluir

ora, pitangas!!! quer ouvir voce.
caso voce não tenha blog ou e mail da g mail, ainda assim poderá comentar, quando aparecer "escolher uma identidade" abaixo da caixinha de comentários, clique na última opção - anônimo, mas não esqueça de assinar, só assim saberei quem é voce.
obrigada!