para compartilhar sabores e lembranças olfativas daqui e de outras terras...como o nhoque da nona, o arroz com bacalhau de vovô, as almondegas de minha mãe, o risoto de linguiça do meu pai, o thanksgiving dinner da mammy, o german chocolate cake da cindy, o doce de leite de tia mercedes, o doce de cidra da aninha, o doce de mamão da célia, o doce de pera da margarida, as pimentas da celha, os bolos da semiramis, os patês da rosana e por ai vai....


sábado, 15 de setembro de 2012

para refletir com Leila Ferreira: minimamente feliz

muitas verdades neste texto da jornalista Leila Ferreira...
o que vale mesmo, é ser feliz quando dá para ser feliz, mesmo que seja em doses homeopáticas e minimamente feliz.
pense nisto.
bom (e se possível) feliz final de semana para vocês!!!


"A felicidade, ao contrário do que nos ensinaram 
os contos de fadas e os filmes de Hollywood,
 não é um estado mágico e duradouro.
 Na vida real, o que existe é uma felicidade homeopática,
 distribuída em conta-gotas.
  Um pôr-de-sol aqui, um beijo ali, 
uma xícara de café recém-coado,
 um livro que a gente não consegue fechar.
        São situações e momentos que vamos empilhando com o cuidado 
e a delicadeza que merecem alegrias de pequeno e
 médio porte e até grandes (ainda que fugazes) alegrias.
       'Eu contabilizo tudo de bom que me aparece',
 sou adepto da felicidade homeopática.
       Tenho consciência de que são momentos de felicidade
 e vivo cada segundo.
       Alguns crescem esperando a felicidade com maiúsculas 
e na primeira pessoa do plural: 
Dá pra ser feliz no singular.
 Podemos viver momentos ótimos mesmo não estando acompanhados 
e que não tem sentido esperar até que um fato mágico nos faça felizes.
       E faz parte da minha 'dieta de felicidade' 
o uso moderadíssimo da palavra 'quando'.
       Aquela história de 'quando eu ganhar na Mega Sena',
 quando eu tiver um emprego fabuloso'.
 Tudo isso serve apenas para nos distrair 
e nos fazer esquecer da felicidade de hoje.
       Como tantos já disseram tantas vezes, aproveite o momento.
       E quem for ruim de contas,
 recorra à calculadora para ir somando as pequenas felicidades.
       Podem até dizer que nos falta ambição, 
que essa soma de pequenas alegrias é uma operação matemática muito modesta para os nossos tempos. 
Que digam.
       Melhor ser minimamente feliz várias vezes por dia 
do que viver eternamente em compasso de espera."

(Leila Ferreira)
Bookmark and Share
Print Friendly and PDF

3 comentários:

  1. Siiiim... são as pequenas alegrias que tornam a nossa vida mais feliz.
    E observá-las é um exercício diário e constante!
    Lindo texto!
    Obrigada por compartilhar... e tenha um lindo domingo com seus queridos!
    bjo
    Ro

    ResponderExcluir
  2. verdade verdadeirissima!!

    ResponderExcluir
  3. Realmente o importante é viver intensamente e sentir alegria até mesmo da mínima satisfação!
    Precisamos dar valor as pequenas e simples coisas.
    Adorei essa dieta de felicidade:)
    Bjo grande
    Léia

    ResponderExcluir

ora, pitangas!!! quer ouvir voce.
caso voce não tenha blog ou e mail da g mail, ainda assim poderá comentar, quando aparecer "escolher uma identidade" abaixo da caixinha de comentários, clique na última opção - anônimo, mas não esqueça de assinar, só assim saberei quem é voce.
obrigada!