para compartilhar sabores e lembranças olfativas daqui e de outras terras...como o nhoque da nona, o arroz com bacalhau de vovô, as almondegas de minha mãe, o risoto de linguiça do meu pai, o thanksgiving dinner da mammy, o german chocolate cake da cindy, o doce de leite de tia mercedes, o doce de cidra da aninha, o doce de mamão da célia, o doce de pera da margarida, as pimentas da celha, os bolos da semiramis, os patês da rosana e por ai vai....


sexta-feira, 30 de março de 2012

para refletir: com Miguel Falabella - saudade dói

toda vez que me sento na varanda de casa, para tomar meu café forte após o almoço tardio de finais de semana, apesar da presença do marido, um silencio melancólico de alma toma conta de mim, questão de poucos segundos, mas ele sempre está presente.
é inevitável.
ultimamente andei refletindo melhor sobre isto e cheguei a conclusão, de  que o sinto, é uma saudade de mim, de que este silencio de alma é constatação que o tempo não perdoa...
é implacável!
  vista do céu de outono e bailado da biruta que fica pendura na minha varanda

Saudade dói

Trancar o dedo numa porta dói.
Bater com o queixo no chão dói.
Torcer o tornozelo dói.
Um tapa, um soco, um pontapé, doem.
Dói bater a cabeça na quina da mesa, dói morder a língua,
dói cólica, cárie e pedra no rim.
Mas o que mais dói é a saudade.

Saudade de um irmão que mora longe.
Saudade de uma cachoeira da infância.
Saudade de um filho que estuda fora.
Saudade do gosto de uma fruta que não se encontra mais.
Saudade do pai que morreu, do amigo imaginário que nunca existiu.
Saudade de uma cidade.
Saudade da gente mesmo, que o tempo não perdoa.
Doem essas saudades todas.

Mas a saudade mais dolorida é a saudade de quem se ama.
Saudade da pele, do cheiro, dos beijos.
Saudade da presença, e até da ausência consentida.
Você podia ficar na sala e ela no quarto, sem se verem, mas sabiam-se lá.
Você podia ir para o dentista e ela para a faculdade, mas sabiam-se onde.
Você podia ficar o dia sem vê-la, ela o dia sem vê-lo, mas sabiam-se amanhã.
Contudo, quando o amor de um acaba, ou torna-se menor,
Ou quando alguém ou algo não deixa que esse amor siga,
Ao outro sobra uma saudade que ninguém sabe como deter.
Saudade é basicamente não saber.
Não saber mais se ela continua fungando num ambiente mais frio.
Não saber se ele continua sem fazer a barba por causa daquela alergia.
Não saber se ela ainda usa aquela saia.
Não saber se ele foi na consulta com o dermatologista como prometeu.
Não saber se ela tem comido bem por causa daquela mania
de estar sempre ocupada;
se ele tem assistido às aulas de inglês,
se aprendeu a entrar na Internet
e encontrar a página do Diário Oficial;
se ela aprendeu a estacionar entre dois carros;
se ele continua preferindo Malzebier;
se ela continua preferindo suco;
se ele continua sorrindo com aqueles olhinhos apertados;
se ela continua dançando daquele jeitinho enlouquecedor;
se ele continua cantando tão bem;
se ela continua detestando o MC Donald's;
se ele continua amando;
se ela continua a chorar até nas comédias.

Saudade é não saber mesmo!
Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos;
não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento;
não saber como frear as lágrimas diante de uma música;
não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche.
Saudade é não querer saber se ela está com outro, e ao mesmo tempo querer.
É não saber se ele está feliz, e ao mesmo tempo perguntar a todos os amigos por isso...
É não querer saber se ele está mais magro, se ela está mais bela.
Saudade é nunca mais saber de quem se ama, e ainda assim doer;

Saudade é isso que senti enquanto estive escrevendo e o que você,
provavelmente, está sentindo agora depois que acabou de ler... 

Miguel Falabella



Bookmark and Share
Print Friendly and PDF

quinta-feira, 29 de março de 2012

doce de moranga

adorei todas as sugestões de vocês para utilizar as morangas.
pouco a pouco serão postadas aqui.
começando então pelo mais simples, o primeiro da série - doce de moranga

doce de moranga

1 kilo de moranga descascada e picada
500 gramas de açúcar cristal

juntar o açúcar, os pedaços de moranga alguns cravos da índia e cozinhar em panela tampada por 20 mim. desligar, deixar descansar por 10 mim. amassar com um garfo e levar novamente ao fogo novamente até que massa fique homogênea. caso prefira mais doce coloque mais açúcar.

sirva frio, com requeijão ou com creme de leite.


Bookmark and Share
Print Friendly and PDF

segunda-feira, 26 de março de 2012

colheita do dia: morangas

recém colhidas do quintal

 

acho que além de doce de moranga, vou fazer uma recheada com carne de sol e guardar outra para a semana santa, talvez use camarão ou bacalhau

acho a fruta tão linda que elas estão dentro de uma cesta decorando a minha cozinha



Bookmark and Share
Print Friendly and PDF

sexta-feira, 23 de março de 2012

para refletir: com Cora Coralina - não sei...

nesta semana fiz um propósito...
vou tentar postar, aos finais de semana, uma reflexão.
para ilustrar esta postagem, 
coloco a imagem que vejo toda manhã,
 enquanto organizo meu dia mentalmente 
e beberico um café bem forte,
 em pé mesmo na ponta do deck.
 estas arvores floridas me dão uma energia especial,
 super positiva para começar meu dia.

cassia imperial (Cassia fistula, L ) e quaresmeira roxa (Tibouchina granulosa)

 Não sei...


Se a vida é curta...
Não sei...
 Não sei... 
se a vida é curta ou longa demais pra nós, 
mas sei que nada do que vivemos tem sentido, 
se não tocamos o coração das pessoas.

Muitas vezes basta ser:
colo que acolhe,
braço que envolve,
palavra que conforta,
silêncio que respeita,
alegria que contagia,
lágrima que corre,
olhar que acaricia,
desejo que sacia,
amor que promove.


E isso não é coisa de outro mundo, 

é o que dá sentido à vida.

É o que faz com que ela não 
seja nem curta, nem longa demais,
mas que seja intensa, 
pura...
enquanto ela durar....”
 
Bookmark and Share
Print Friendly and PDF

quarta-feira, 21 de março de 2012

trança temperada

tenho uma certa predileção por fazer pães temperados,
 desta vez fiz um pão trançado.
 nada de especial, apenas ervas e temperos



















também gosto de colocar um cobertura,
 assim o pão fica com uma aparecia mais atraente

trança temperada

bater no liquidificador 2 tomates maduros, 1 cebola media, 3/4 de xícara de óleo, 1 colher sopa de sal,1 e 1/2 xícara de agua agua filtrada e 1 ovo. 
em seguida pulsar 4 dentes de alho, salsinha, manjerona, manjericão, orégano fresco e tomilho limão ou outra erva de sua preferência.
numa tigela, colocar 3 xícaras de farinha de trigo, 4 colheres de sopa de açúcar,  e 3 colheres de fermento biológico granulado. 
misturar os secos e em seguida despejar a batida das ervas e mexer com uma colher de pau, neste ponto você começa agregar farinha aproximadamente mais 2 xícaras, esta quantidade vai depender muito da quantidade de ervas que você usar. 
amasse bem e sove, cuide sempre para não deixar uma massa dura, deve ser uma massa bem macia e maleável. deixe crescer.
depois do primeiro crescimento, abaixe a massa sove mais um pouco e faça a trança. 
coloque em assadeira untada e deixe crescer por mais 30 minutos.

para a cobertura: pulse 2 tomates italianos sem pele nem sementes com 2 dentes de alho, tomilho e azeite. 
coloque por cima da trança, salpique queijo ralado e leve para assar.

Bookmark and Share
Print Friendly and PDF

terça-feira, 20 de março de 2012

crônica da Welze para dia do blogueiro

no ano passado escrevi uma postagem falando e como nós blogueiros somos passionais. se você ainda não visitava este blog a postagem está aqui.
neste ano, no dia do blogueiro, gostaria de abordar outro tema.

- a amizade

do sentimento de amizade conquistada através de palavras, de postagem em postagem, de comentário em comentário.
uma amizade sem conhecimento, mas não desconhecida.
uma amizade que permite participar das alegrias e dos sucessos, da dores e das perdas, das idas e vindas...
uma amizade especial, uma amizade singular.
esta amizade tão singular, que no ano passado uniu gente daqui e de acolá para vibrar, orar, rezar, fazer preces e homenagear a nossa querida cronista Welze.


para celebrar esta amizade, amizade de blogueiro, hoje, reproduzo aqui, a crônica da Welze, crônica esta, que ouso em nomear:


Para comemorar nossa amizade...

"Nossa, eu não sabia!
Ainda bem que a rede é esperta e passa as notícias, as boas novas para as desavisadas de plantão(eu). 
Visitando o blog orapitangas!, da demais de querida Angela, fiquei sabendo que hoje é o dia do blogueiro
É o nosso dia. 
Que delícia! 
Eu que gosto de uma comemoração, não posso deixar passar em branco. 
Aqui, nesse mundo conheci pessoas maravilhosas, de todas as partes do mundo. 
De lugares que com certeza não poderia conhecer e por elas, conheço.
Lugares que tinha vontade de conhecer, onde elas me levam em suas bagagens. 
Conheci pessoas de credos, pensamentos, humores, valores, conhecimentos, ideias diferentes.
Cada qual com seu eu. 
Todas se enlaçando numa conversa única.
Numa ideia única. A de conhecer e se tornar conhecida. 
Conheci artistas da palavra, da escrita, das artes manuais, da decoração, da moda, do forno e do fogão.
Todas passando dicas para facilitar a vida, para deixar a vida mais charmosa, mais alegre. 
Passando conhecimento.
Comentando notícias da atualidade sem medo de dar sua versão, seu parecer. Pessoas com entusiasmo, com alegria, com problemas, com aflições.
Pedindo orações por doentes. Pedindo ajuda para si própria ou para um amigo. Soltando os cachorros em políticos, servidores, transito.
Fala-se aqui de tudo. De tudo e muito. 
Adoro isso aqui.
E pensar que passei a maior parte da minha vida sem nem saber que isso existia. Como consegui? Não imagino.
De qualquer modo e de todos eles, quero hoje, no nosso dia, ir de blog em blog, através dessa postagem, dar meu grande e carinhoso abraço aos meus irmãos de cadeira. 
Vamos nos sentar mais uma vez, lado a lado, para uma comemoração.
Para comemorar nossa amizade.
Nosso carinho. 
Nosso respeito mútuo. 
Nossa vida. 
É DEMAIS DE BOM TUDO ISSO AQUI".

Welze



Bookmark and Share
Print Friendly and PDF

sábado, 17 de março de 2012

para refletir: com Drauzio Varella - a porta do lado

quem já não ouviu falar isto?
se a vida ter der um limão faça dele uma limonada.

 















 
pensando nisto e sugerindo uma reflexão... partilho com vocês, uma das sabias entrevista do Dr Drauzio Varella
e então alguém poderá me perguntar.
o que o limão e a limonada tem a ver com porta e com Dr Drauzio?
nada.
tudo.
experimente!

 
A PORTA DO LADO


Em entrevista dada pelo médico Drauzio Varella,
disse ele que a gente tem um nível de exigência absurdo em relação à vida, que queremos que absolutamente tudo dê certo, e que,
 às vezes, por aborrecimentos mínimos,
 somos capazes de passar um dia inteiro de cara amarrada.

E aí ele deu um exemplo trivial, que acontece todo dia na vida da gente...
É quando um vizinho estaciona
 o carro muito encostado ao seu na garagem 
(ou pode ser na vaga do estacionamento do shopping).
Em vez de simplesmente entrar pela outra porta, 
sair com o carro e tratar da sua vida, 
você bufa, pragueja, esperneia e estraga o que resta do seu dia.

Eu acho que esta história de dois carros alinhados, 
impedindo a abertura da porta do motorista,
 é um bom exemplo do que torna a vida de
algumas pessoas melhor, e de outras, pior.

Tem gente que tem a vida muito parecida com a de seus amigos,
mas não entende por que eles parecem ser tão mais felizes.
Será que nada dá errado pra eles?
 Dá aos montes.
 Só que, para eles, entrar pela porta do lado, 
uma vez ou outra, não faz a menor diferença.

O que não falta neste mundo 
é gente que se acha o último biscoito do pacote. 
Que "audácia" contrariá-los!
São aqueles que nunca ouviram falar em saídas de emergência:
 fincam o pé, compram briga e não deixam barato.

Alguém aí falou em complexo de perseguição? 
Justamente.
O mundo versus eles.

Eu entro muito pela outra porta, 
e às vezes saio por ela também.
 É incômodo, tem um freio de mão no meio do caminho,
 mas é um problema solúvel. 
E como esse, 
a maioria dos nossos problemões podem ser
resolvidos assim, rapidinho.
 Basta um telefonema, um e-mail, um pedido
de desculpas, um deixar barato.

Eu ando deixando de graça...
Pra ser sincero,
 vinte e quatro horas têm sido pouco prá tudo o que eu tenho que fazer,
 então não vou perder ainda mais tempo ficando mal-humorado.

Se eu procurar, 
vou encontrar dezenas de situações irritantes e gente idem; 
pilhas de pessoas que vão atrasar meu dia.
Então eu uso a "porta do lado" 
e vou tratar do que é importante de fato.

Eis a chave do mistério,
 a fórmula da felicidade, o elixir do bom humor, 
a razão por que parece que tão pouca coisa na vida dos outros
dá errado."

Quando os desacertos da vida ameaçarem o seu bom humor,
 não estrague o seu dia... 
Use a porta do lado e mantenha a sua harmonia.
Lembre-se, o humor é contagiante 
- para o bem e para o mal - 
portanto, sorria, 
e contagie todos ao seu redor com a sua alegria.
A "Porta do lado" pode ser uma boa entrada ou uma boa saída... 
Experimente!

Drauzio Varella

Bookmark and Share
Print Friendly and PDF

quarta-feira, 14 de março de 2012

creme de ricota temperado

simples assim...
















creme ricota temperada

uma ricota caseira ou uma ricota pequena.
amassar com azeite, sal e pimenta síria e pouco de creme de leite, apenas para amaciar..
misturar tomates em pequenos cubos, cheiro verde, hortelã e um colher de sopa de vinagrete seco.
servir com pão sírio, torradas, crostata ou ainda substituir o requeijão ou maionese na montagem dos sanduíches.
também rende um excelente recheio para batatas assadas.


Bookmark and Share




Print Friendly and PDF

segunda-feira, 12 de março de 2012

carambola

sou fascinada pela beleza desta fruta.













 
normalmente faço compota,















mas estas estavam tão lindas e suculentas.
 servi assim, as estrelinhas geladinhas

Bookmark and Share
Print Friendly and PDF

sexta-feira, 9 de março de 2012

sagu de maracujá

com diria meu avô: "inventando moda"?
para aproveitar as safras das frutas, vivo mesmo "inventado moda "
a safra do maracujá está abundante novamente. felizmente.
destino grande parte dos frutos ao congelamento da polpa para sucos no decorrer do ano e não raro fico procurando formas de consumir todos os frutos.
este sagu foi uma tentativa que deu muito certo, ficou saboroso, refrescante e com excelente aparência.














sagu de maracujá

1 xícara de sagu
deixar de molho por 4 horas em 3 xícaras de agua
levar ao fogo, nesta agua, com um pau de canela, cravos, com 1 xícara de açúcar (pode usar mais se desejar mais doce), mexendo sempre até que as bolinhas se desmanchem.
neste momento juntar uma xícara de polpa de maracujá  passada pela peneira grossa com apenas parte das sementes e deixar cozinhar juntos, mais uns 5 minutos.
quando estiver começando ficar transparente coloque 1 xícara de vinho branco, cozinhe mais um pouco e depois coloque em taças, copinhos ou pirex. sirva gelado.

Bookmark and Share
Print Friendly and PDF

quinta-feira, 8 de março de 2012

hoje é um dia especial

gosto sempre de postar uma reflexão  para o nosso dia.
desta vez, escolhi Fernando Pessoa, espero que gostem.

feliz dia internacional da mulher


 
Persiga um sonho, mas não deixe ele viver sozinho.
Descubra-se todos os dias, deixe-se levar pelas vontades, mas não enlouqueça por elas.
Procure, sempre procure o fim de uma história, seja ela qual for.
Dê um sorriso para quem esqueceu como se faz isso.
Acelere seus pensamentos, mas não permita que eles te consumam.
Olhe para o lado, alguém precisa de você.
Abasteça seu coração de fé, não a perca nunca.
Mergulhe de cabeça nos seus desejos e satisfaça-os.
Procure os seus caminhos, mas não magoe ninguém nessa procura.
Arrependa-se, volte atrás, peça perdão!
Não se acostume com o que não o faz feliz, revolte-se quando julgar necessário.
Alague seu coração de esperanças, mas não deixe que ele se afogue nelas.
Se achar que precisa voltar, volte!
Se perceber que precisa seguir, siga!
Se estiver tudo errado, comece novamente.
Se estiver tudo certo, continue.
Se sentir saudades, mate-a.
Se perder um amor, não se perca!
Se achá-lo, segure-o!


Bookmark and Share
Print Friendly and PDF

terça-feira, 6 de março de 2012

rocamboles de nozes e avelãs

as festas da Celha sempre entram  madrugada a dentro.


afinal temos os gringos cantando e tocando, sempre tem alguém que arisca na bateria, na gaita, no baixo e o que nunca falta é animação e boa comida.
e é claro os maravilhosos bolos da Semiramis.
lá pelas tantas ou quase amanhecendo sempre rola um chá e um café bem gostoso para botar tudo no seu devido lugar.
nesta hora, ela sempre serve os meus rocamboles, que são perfeitos para acompanhar o chá ou café.
até a moçada curte este bolo antigo, para eles sem café.
a moçada ainda é muito jovem para cumprir o ritual de um café de madrugada com os amigos. certamente, um dia, chegará a vez deles.

desta vez, ela me mandou os potes de doce de leite e as frutas secas e pediu três rocamboles.

para o recheio de nozes, misturo o doce de leite com creme de leite para ficar mais pastoso e agrego nozes grosseiramente moídas
para o recheio de avelãs, misturo o doce de leite com creme de leite para ficar mais pastoso e agrego as avelãs moídas. 
sempre reservo algumas frutas para espalhar sobre os rocamboles.
bem, quanto receita do rocambole pode ser encontrada no blog aqui.

Bookmark and Share
Print Friendly and PDF

domingo, 4 de março de 2012

parabéns Léia

para você, Léia,

gostaria de desejar tantas coisas neste seu dia de aniversário, 
dentre elas, as de sempre, 
que você tenha saúde, 
que você tenha sempre amor, 
que você tenha sonhos, 
que você tenha paz no seu coração, 
que jamais perca esta doçura, 
que o seu querer seja concretizado,
enfim muitas desejos.
dentre todos estes desejos,
o mais importante é que você sempre tenha, Deus no seu coração,
que seja feliz, imensamente feliz.
parabéns!














e lembre-se, sempre disto:

Faça o que for necessário para ser feliz.
Mas não se esqueça que a felicidade é um sentimento simples,
você pode encontrá-la e deixá-la ir embora
 por não perceber sua simplicidade.
Mario Quintana

Bookmark and Share
Print Friendly and PDF

sábado, 3 de março de 2012

pão petropolis e frios da festa da Celha

ainda sobre o aniversário da Celha...
ela preparou esta deliciosa mesa de frios e serviu os tradicionais pates maravilhosos de frango com cream cheese e de bacalhau.
para acompanhar fiz pães petrópolis. posicionado no canto inferior direito da mesa.
infelizmente não  tem nenhuma foto do pão fatiado, mas ficou perfeito, macio e fatiando maravilhosamente bem
também  fiz os rocamboles para servir, na madrugada, acompanhado de um delicioso café. 
postarei oportunamente.
bem, tenho visto o pão petrópolis em vários blogs, mas quando via a postagem no blog da querida Maura, não sosseguei enquanto não fiz o meu.
se você ainda não conhece o blog da Maura, o Trainee de cozinheira, não deixem de conhecer, você certamente ficará encantada com todas as delicias.
além de agradecer a Maura, quero agradecer a Akemi, do Pecado da Gula, blogueira das mais queridas, que fez o perfeito ajuste na receita.
a receita ficou perfeita. espetacular.


























pão petrópolis
fonte e texto: Maura do Trainee de cozinheira
receita corrigida da Akemi do blog Pecado da Gula

*xícara medida 240ml
Ingredientes:
50g de açúcar (1/4 de xícara)
400g de farinha de trigo (2 3/4 xícaras)(usei Dona Benta)
30g de fermento biológico fresco (usei 1 colher sopa de fermento seco biológico)
uma pitada de sal
1 colher (sopa) cheia de manteiga sem sal em temperatura ambiente
180ml de leite morno(3/4 de xícara)
1 ovo extra grande
1 gema misturada com 1 colher de (chá) café pronto 

Com o link do blog da Akemi acima, vocês podem ver a outra maneira de fazer o pão.
Modo de fazer do jeito da Akemi:
Divida a farinha de trigo entre 2 vasilhas. Numa coloque o sal e a manteiga. Na outra, coloque o fermento, o açúcar a seu lado o ovo num canto. Despeje o leite morno sobre o fermento e misture com uma espátula ou colher de pau até formar uma massa. Mexa vigorosamente até formar uma mistura lisa e elástica, levantando bolhas. Caso fique uma massa pesada, junte um pouco mais de leite até formar uma massa líquida mais mole sem ser líquida.
Junte o conteúdo da outra vasilha e misture com cuidado até formar massa lisa e homogênea (cerca de 10 minutos). Não é preciso juntar mais farinha de trigo. Modele uma bola e volte a massa na vasilha. Cubra com filme plástico e deixe descansar até dobrar de volume (uns 40 minutos). Dê alguns soquinhos na superfície da massa para tirar o gás acumulado. Tire a massa da vasilha e modela a massa numa bola novamente. Cubra com um pano de prato molhado e bem torcido e deixe descansar mais 10 minutos. Abra a massa num pequeno retângulo com largura do tamanho da forma e enrole como rocambole. Coloque o pão modelado na forma, com a parte que fechou para baixo. Pincele com agema e cubra com filme plástico. Deixe crescer até dobrar de volume (uns 30 minutos). Leve para assar em forno pré-aquecido a 180ºC por cerca de 30 minutos. Caso fique corado demais, cubra com papel alumínio e deixe terminar  de assar. tire do forno, desenforme e deixe esfriar sobre uma grade.
A receita rendeu 2 pães médios (24x10x6cm).
A minha opinião: achei a massa extremamente macia e leve, no dia seguinte fica até melhor para cortar, de tão macio que ele fica, é uma delícia e faz torradas maravilhosas!!!

Bookmark and Share
Print Friendly and PDF