para compartilhar sabores e lembranças olfativas daqui e de outras terras...como o nhoque da nona, o arroz com bacalhau de vovô, as almondegas de minha mãe, o risoto de linguiça do meu pai, o thanksgiving dinner da mammy, o german chocolate cake da cindy, o doce de leite de tia mercedes, o doce de cidra da aninha, o doce de mamão da célia, o doce de pera da margarida, as pimentas da celha, os bolos da semiramis, os patês da rosana e por ai vai....


segunda-feira, 29 de junho de 2009

fireplace

final de semana, dias cinza, chuva e frio muito frio...

então, a noitinha nada melhor que acender a lareira e ficar rodeando o fogo, ouvindo o criptar da lenha e sentindo o cheirinho de cascas de laranja queimando, assim meio a toa mesmo, será que alguém tem duvida que eu iria arrumar algo ligeiro e bem gostoso para beliscar, abrir um vinho e esquecer que o dia esteve feio, que choveu e que não deu para fazer nada no jardim, melhor não duvidar mesmo, bem... quanto ao frio, que bom que estava frio, muito frio

na mesinha tinha:


  • pão francês
  • queijo
  • salsichas já cozidas
  • maçã e peito de peru
  • um vidrinho de pimenta bem ardida
  • um vidro de mostarda
  • moedor de pimenta do reino
  • molho de mel e mostarda (para cada colher de mostarda uso duas de mel)
  • coalhada seca ( coalhada caseira drenada por 24 horas e temperada com sal, pimenta, azeite extra virgem e ervas finas)
para adoçar a noite, o mimo que ganhei da minha mãe, D. Odete (no auge de seus 76 anos ela faz trufas e docinhos que são uma perdição)

  • trufas de chocolate amargo com recheio de chocolate ao leite
  • camafeus de nozes

quinta-feira, 25 de junho de 2009

muffins de banana

olha eu de volta com bananas, cada vez que amadurece um cacho em seguida vem outro e outro e assim acabo tendo muitas bananas maduras ao mesmo tempo, haja imaginação!
resolvi fazer bolos e bolinhos, assei em vários tamanhos de formas, de bolo inglês, de buraco, em formas de brioches..., o marido levou no trabalho, dei para as amigas, congelei, e no meio do atropelo, por que era banana para todo lado, acabei fazendo uma tentativa de assar os bolinhos, direto nas forminhas de papel, sem colocar
dentro das forminhas de muffins, ficaram lá meio tortos, mas com um sabor excelente, no tamanho certo para o lanche da moçada

muffins de bananas

amassar 5 bananas grandes e bem maduras,
juntar 2 ovos inteiros, misturar bem, costumo usar o
misturador de massas ou uma colher de pau juntar 1/2 xicarara de óleo de canola, e 2 xícaras de açúcar, misturar bem, nesta hora junto as especiarias que tanto gosto, baunilha, cravo moído, canela, gengibre, misturar mais um pouco.
acrescentar 3 xícaras de farinha de trigo peneirada com 1 colher de chá de bicarbonato de sódio e 1 colher de sopa de fermento em pó.
misturar bem, e colocar nas forminhas, preenchendo apenas 2/3 de cada forminha.
assar em forno médio por 15 min ou até fazer o teste do palito.
observação:
  • este bolo não leva leite nem outro tipo de liquido, apenas a banana amassada que vai dar a umidade necessária
  • especiarias, use a seu gosto
  • nestes usei 1/2 xícara de passas escuras

quarta-feira, 24 de junho de 2009

marguerite com peito de peru

gosto muito de massa tricolor, sempre tenho algumas no armário e são perfeitas para uma refeição rápida, com frios e requeijão, com molho paris, ou quatro queijos, fica sempre bom. na hora da pressa, esta massinha ligeira e uma saladinha de entrada, é tudo de bom!marguerite com peito de peru

numa frigideira de fundo largo, em azeite e um 1 colher de manteiga refogue fatias de peito de peru, cebola batidinha, agregue 2 colheres de farinha de trigo, sal, 1 xícara de leite integral, deixe cozinhar, junte 1 xícara de ervilhas congeladas, já previamente passadas por agua fervente e 1 copo de requeijão cremoso, rale nos moscada a gosto e se desejar pimenta do reino moída na hora, ai então junte a massa pré cozida, misture tudo e sirva imediatamente.

segunda-feira, 22 de junho de 2009

cookies de granola

faço cookies desde que voltei do intercâmbio, sempre fiz uma receita com aveia e corn flakes, que qualquer dia mostro aqui, mas estes dias arrumando meu armario de cozinha, me dei conta que tinha muita granola, explico, costumamos comprar de caixa fechada, na fabrica, pois consumimos muito, com coalhada caseira no café da manhã, no lanche da tarde, e como ainda restavam uns 4 pacotes e o vencimento era para julho, resolvi testar nos cookies, segundo o marido e os filhos estes foram os melhores cookies que eu já fiz, são cookies mais secos e crocantes mas de fato ficaram ótimos, fiz adaptada da minha receita original, que já era mais do que aprovada aqui em casa.


cookies de granola

1 xícara de açúcar mascavo
1 xícara de açúcar branco
2 ovos grandes
1 colher de sopa de baunilha
3 colheres de sopa de margarina sem sal
bater tudo isto em creme e juntar a granola, usei um pacote de 500 g, mais 1 xícara de uvas passas sem semente (opcional), misturar bem e ir juntando aos poucos a seguinte mistura dos secos, já previamente peneirados
2 e 3/4 de xícaras de farinha de trigo
1 pitada de sal
1 colher de sopa de fermento em pó
1 colher de chá de bicarbonato de sódio
misturar tudo com colher de mexer massa, mas se desejar pode usar a batedeira, pois a massa é bem pesada.

para que seus cookies saiam perfeitos observe estas instruções:
  • usar uma cookie spoon ou fazer bolinhas e levar para assar em assadeira untada
  • se desejar, pode marcar com garfo as bolinhas, eu faço isto depois de estar no forno
  • colocar os cookies com espaçamento
  • eles se espalham durante o tempo de forno
  • quando estiverem "flat" e dourados estão prontos, aproximadamente 15 minutos em temperatura de 180 graus
  • retirar com uma espátula imediatamente após tirar do forno, eles ainda estarão bem úmidos
  • deixar descansar sobre papel manteiga ou papel toalha sobre uma superfície plana
  • apenas guardar em latas ou embalar em saquinhos após estarem bem frios e crocantes
  • rende 90 unidades
  • a cookie sheet foi presente da Juh
  • a toalha bordada foi herdada da sogra
    eles ficam assim

sábado, 20 de junho de 2009

creme de cebola

...e o frio continua, e aqui não faltam sopas e cremes, nos finais de tarde para aquecer o corpo nada melhor que um caldo bem quentinho, torradas e vinho.
bem, aprendi fazer esta sopa de cebola com a Evelyn, filha de um representante com quem trabalhei muitos anos, Monsieur Paul Quilliec, que era um gourmet, adorava antiguidades, vinhos, ótimos restaurantes e almoços longos ... , certa vez arrematou um bar completo dos anos vinte e o montou no subsolo do escritório, na Rue da la Tour, o bar completo, balcão, mesas de ferro, uma chopeira maravilhosa, onde nos finais de tarde de verão ele adorava preparar um panache, e no inverno sempre oferecia um vinho da sua reserva, algumas vezes ela fazia uma sopa de cebola, mas sempre tinham o arenque, o salmão, os fiambres, os patês e queijos maravilhosos que ele representava, ah sim... e os pães da boulangerie da vizinhança.
foram anos inesquecíveis, nos quais aprendi muito sobre degustar alimentos, sobre os prazeres da mesa, sobre vinhos, sobre comida francesa e sou muito grata a eles.

creme de cebola

fatie finamente as cebolas, (usei 8) e deixe murchar bem em azeite e manteiga, junte 1 xicara de de farinha de trigo, lentamente junte aproximandamente 2 e 1/2 litro de caldo de carne ou de legumes, sal e deixe ferver em fogo baixo, se desejar coloque uma taça de branco.
no fundo da tigelinha tem uma fatia de pão de italiano com queijo prato e a sopa foi servida sobre esta fatia .

quinta-feira, 18 de junho de 2009

vaca atolada

ainda da série comida de dias frios, a vaca atolada, apareceu por aqui, eu somente estava esperando por uma mandioca bem no ponto e ai não faltou mais nada...
costela macia, salada de rúcula e um bom vinho, almoço perfeito para o sábado gelado vaca atolada

cozinhe a costela como já postei aqui, após estar bem tenra, retire da panela de pressão, coloque apenas uns dois dedos de água no fundo da panela, deixe aquecer para soltar a cor de ferrugem e coloque os pedaços de mandioca, em seguida coloque a carne de volta, feche a panela por uns 10 minutos (vai depender da mandioca) e deve estar tudo pronto, mandioca macia e carne no ponto.

terça-feira, 16 de junho de 2009

pão básico inspirado no Sabores da Lica

quando vi o pão básico perfeito do Jamie Olivier postado no blog sabores da lica, tive certeza que esta pão faria muito sucesso aqui em casa, tanto é, que no mesmo dia fiz a receita original e servi a tardinha para o meus filhos, ficou otimo e nem deu tempo para foto.
fiz mais outras vezes da forma original e neste final de semana resolvi dar uma alterada na receita, usei o mesmo mel que uso para o pão de mel, linhaça e aveia, ficou um pouco mais pesado, mas bastante saboroso, ideal para o café da manhã, com geleia e mesmo com um pate para acompanhar um aperitivo.

a receita abaixo e o texto são da querida e talentosa Eliana, e a minha alteração foi a seguinte:
*em 100 ml de água deixei 6 colheres de sopa de linhaça de molho por 1 hora
* usei 1 xícara de aveia em flocos,
sendo assim mantive os 600 ml de água e usei um pouco menos de farinha de trigo



pão básico perfeito do Jamie Olivier

  • 30 g de fermento fresco ou 3 sachês de 7 g de fermento seco
  • 30 g de mel (ou açúcar)
  • 600 ml de água morna *
  • 1 q de farinha de trigo *
  • 30 g de sal
  • um pouco de farinha extra para polvilhar

Etapa 1 - Dissolva o fermento e o mel (ou açúcar) em metade da água morna.

Etapa 2 - Em uma superfície limpa ou em uma tigela larga, faça um monte com a farinha e o sal. Faça um buraco no centro e despeje toda a mistura de fermento dissolvido. Usando apenas uma mão faça movimentos circulares, partindo do centro para a parte exterior, trazendo lentamente cada vez mais farinha até que a mistura de fermento fique saturada. Despeje, então, a outra metade de água morna no centro e incorpore gradualmente toda a farinha para fazer uma umedecida. (Certas farinhas podem precisar de um pouco mais de água, portanto não fique com medo de ajustar as quantidades.)

Etapa 3 - Sovar! Esta é a melhor parte, apenas enrole, empurre e dobre a massa várias vezes por 5 minutos. Isso desenvolve a estrutura da massa e o glúten. Se a massa grudar em suas mãos, apenas esfregue-as com um pouco de farinha extra.

Etapa 4 - Passe farinha nas duas mãos e polvilhe levemente o topo da massa. Deixe-a com um formato circular e acomode-a em uma assadeira. Faça talhos profundos na massa com uma faca. Deixe que ela cresça até dobrar de tamanho. O ideal é que você tenha um lugar morno, com umidade e longe de correntes de ar para que a massa cresça bem rapidamente. Pode ser perto do fogão, dentro de um armário aberto ou em um quarto aquecido, por exemplo. E você pode cobrir a massa com filme plástico se quiser acelerar as coisas. Esse processo de crescimento melhora o sabor e a textura da massa e deve levar aproximadamente 40 minutos, dependendo das condições.

Etapa 5 - Depois que a massa tiver dobrado de tamanho, você precisará amassá-la por cerca de 1 minuto a fim de retirar todo o ar dela. Em seguida modele a massa no formato que quiser - redondo, achatado, rechonchudo, baixo, alto ou qualquer outro - e deixe crescer pela segunda vez até que ela tenha dobrado de tamanho novamente. Não fique tentados a pular essas etapas, porque é esse segundo crescimento que dá aquela textura macia e delicada que todos apaixonados por pães amamos.

Etapa 6 - É hora de assar o pão. Depois de todo o trabalho duro, não desperdice os seus esforços. Você precisa manter todo o ar dentro do pão, portanto não bata nele novamente. Coloque-o cuidadosamente dentro do forno e feche a porta sem bater. Asse o pão de acordo com a temperatura e o tempo indicados nas receitas das páginas seguintes. Você pode saber quando ele está pronto dando uma batidinha na base (se estiver em uma assadeira, você terá de retirá-lo). Se fizer um som oco, está cozido, do contrário, coloque-o rapidamente no forno para um pouco mais de tempo. Acomode o pão em uma estante e deixe-o esfriar. Você irá amar!

* Fonte - Livro Retorno do chef sem mistérios - Jamie Oliver







por dentro, bem de pertinho,




e com geleia de damasco, ficou otimo...




domingo, 14 de junho de 2009

arroz doce

bem, como disse no post anterior, esta também era uma das sobremesas do almoço, eu particularmente gosto muito de arroz doce, e não posso deixar de mencionar que este doce, bem simples, me remete a infância e a uma constante implicância minha com a minha mãe,
ela sempre fez arroz doce e depois de pronto agregava gemas, muitas gemas, meu pai sempre gostou assim, eu sempre detestei assim com gemas, me recusava a comer.
o meu favorito era o branquinho, sem nada, apenas com canela, por algumas vezes minha mãe esquecia de separar um potinho e ai eu ficava triste, mas rapidamente ela dava um jeito e logo fazia um outro para mim.
hoje faço o arroz doce apenas assim branquinho e raras vezes uso leite condensado ou creme de leite, faço o arroz doce simples mesmo.
arroz doce

1 xícara de arroz lavado, cozido em 1 xícara de água em fogo baixo, por uns 10 minutos. deixo descansar uns 15 minutos ai então coloco leite, um pau de canela, 1 xícara de açúcar, sempre em fogo bem baixinho, vou cozinhando lentamente, agregando leite, normalmente uso entre 1 litro e 1 e 1/2 litro de leite, pra deixar bem cremoso. sirvo em taças ou num pirex, e polvilho com canela.

  • caso prefira bem doce, aumente a quantidade de açúcar
  • se preferir pode usar casquinha de limão ao invés de canela
  • se for usar leite condensado, praticamente não use o açúcar, quando estiver cozido, coloque o leite condensado
  • se for usar o creme de leite, diminua o leite na hora do cozimento
  • a toalhinha foi feita pela minha mãe para o meu enxoval... e olha que faz tempo!

sexta-feira, 12 de junho de 2009

torta de maçã

no dia que eu fiz esta torta também tinham outras sobremesas, fiz uma torta pequena por que, além dela tinham arroz doce, bolo de chocolate e os doces caseiros (abóbora, goiaba, manga, caju) em compotas que sempre tenho na geladeira, mas acho que os meus convidados tiveram um certa predileção por esta tortinha simples, sobrou de tudo menos, da torta de maçã

torta de maçã

base
250 g de farinha de trigo peneirada
100 g de manteiga
3 colheres de açúcar
1 ovo
1 pitada de sal
1 ou 2 colheres de sopa de água gelada
misture todos os secos, coloque o ovo e manteiga em pedaços se necessário junte 1 ou 2 colheres de água gelada, faça um bola e deixe descansar em geladeira por 20 minutos, embrulhada em papel filme.
abra a massa, forre o fundo e a lateral de uma forma de fundo removível (20 cm) e pré assar em forno médio.


creme

1 lata de leite condensado
2 latas de leite integral
3 colheres de sopa de amido de milho
gotas de baunilha
leve ao fogo até engrossar, deixe esfriar e misture com o mixer uma caixinha de creme de leite, espalhe sobre a torta já assada

cobertura

fatie as maçãs e deixe de molho em água com suco de limão enquanto vai fatiando, escorra toda água, espalhe as maçãs sobre o creme

geleia de laranja

leve ao fogo 300 ml de suco de laranja peneirado com 1 colher de sopa de amido de milho, se desejar use açúcar (eu não uso), cozinhe, quando estiver transparente, espalhe sobre as maçãs
leve para gelar pelo menos por 2 horas

dica
  • costumo forrar o fundo da forma com papel manteiga e deixar uma aba para facilitar quando transferir para o prato de servir

terça-feira, 9 de junho de 2009

cupim

nesta época do ano, quando faz este friozinho bom, gosto muito de preparar osso buco, costela, peito, rabada, cupim, são carnes de ótimo sabor, mas com muita fibra, que demandam bastante cozimento.
sempre fiz estas carnes de panela, desde menina, por que eram as favoritas do meu pai, e hoje são da Juh, fazia sempre selando a carne e depois colocando a água, cozinhando até amolecer e formar o molho ferrugem, mas depois que eu aprendi fazer apenas com sal grosso, sem água, com a querida tia Sara, que é irmã (e clone) da Dona Marina, minha sogra.
hoje, ela cozinha muito pouco pois já passa dos 90 anos, mas me ensinou muita coisa boa, que irão certamente aparecer por aqui, na verdade Dona Sara, me ensinou fazer a costela e ai adaptei para os outros cortes, como requer um tempo de descanso demanda atenção o tempo todo, faço apenas nos finais de semana, mas o resultado final vale a pena
cupim

escolha um peça de sua preferência, eu prefiro as mais magras, lave e passe sal grosso e ambos os lados. coloque na panela de pressão, em um do lados coloque 4 dentes inteiros de alho e 1 cebola cortada em 4 partes. sem colocar água ou azeite feche a panela e leve ao fogo médio e conte 15 minutos até começar a pressão. após este tempo desligue.
se ainda tiver água volte ao fogo por mais alguns minutos dependendo da quantidade de água, deste vez, desligue e não abra a panela imediatamente, aguarde 10 minutos antes de abrir, abra e vire a carne, deverá ter formado um suco já mais escuro, leve ao fogo por mais 10 minutos e vá repetindo o processo, se depois de 3 aberturas se a carne ainda não estiver macia, acrescente água para finalizar o cozimento.

segunda-feira, 8 de junho de 2009

cheesecake de damasco

ontem logo cedo, o sino de casa tocou, minha amiga Celha, o marido e a filha Su, vieram de surpresa me trazer um agrado, não pude deixar de me lembrar do meu pai , que sempre dizia, ser lembrado com comida é de um carinho imenso, ainda mais quando se trata desta doçura...

o cheesecake de damasco

o meu pedaço bem..... de pertinho

bom... nem preciso falar pra vocês que estava uma delícia, e para não deixar ninguém morrendo de vontade, vou passar o "segredo" do cheesecake da Celha, espero que gostem

cheesecake de damasco

massa:

1 ovo inteiro

100 g de manteiga sem sal

3/4 de xícara de açúcar

2 e 1/2 xícara a farinha de trigo

1 colher de café de fermento em pó

gotas de baunilha

amassar tudo, se necessário usar um tiquinho a mais de farinha, deixar descansar por pelo menos 30 min na geladeira, forrar uma forma de fundo removível com papel manteiga e em seguida forrar o fundo e as laterais com a massa

creme:

no liquidificador, bater 1 vidro de leite de coco, 3 gemas sem pele, 1 lata de leite condensado, depois de bem batido acrescentar 3 embalagens de cream cheese de 170 g cada uma, misturar este creme com as 3 claras em neve e despejar sobre a massa crua, levar ao forno baixo e ir assando lentamente, aproximadamente 1 hora, até que a massa esteja dourada e que o creme esteja firme. deixar esfriar

cobertura:

colocar a cobertura desejada, geleia de damascos ou goiabada diluída e guarnecer com damasco

domingo, 7 de junho de 2009

ai, ai, mais um aniversário!

não sou ligada em signos, mas...
considerando que consta no perfil do blogger, então, sendo eu regida por mercúrio, deus aliado da comunicação, e que o geminano faz da casa um lugar para estar, conversar, reunir amigos, enfim, viver a vida.
como aqui é um pedacinho da minha casa
e hoje é dia de comemorar o meu aniversário, tem um bolinho para quem passar por aqui

bolo bem casado

4 claras em neve bem batidas
ir colocando as gemas uma a uma e bater por 3 mim, depois disto colocar 1 colher de chá de baunilha e 6 colheres de açúcar peneiradas, bater por mais 3 minutos, desligar a batedeira.
acrescentar 8 colheres de sopa de farinha de trigo peneiradas com 1 colher de sobremesa de fermento em pó, bem delicadamente e ir alternando com 2 colheres de água.
assar em forno médio, até fazer o teste do palito.
depois de frio rechear com leite condensado pré cozido e coco, ou outro recheio que desejar.
fazer uma nuvem de açúcar de confeiteiro

dica:
  • pode fazer a calda com 1 xícara açúcar de confeiteiro e 1 e 3/4 água e levar ao fogo até engrossar e substituir pelo açúcar de confeiteiro
  • ou usar o cortador e cortar o bolinhos do tamanho desejado, rechear, banhar na calda, deixar secar sobre a grade e depois embrulhar

sábado, 6 de junho de 2009

creme de cenoura, mandioquinha e batatas

e esta era a terceira sopa da noite, um creminho aveludado de uma cor que eu adoro!


creme de cenoura, mandioquinha e batatas

usei 3 mandioquinhas grandes em rodelas, 2 cenouras grandes cortadas em rodelas, e 2 batatas médias cortadas em quatro, 4 dentes de alho, 1 cebola média inteira, 1 galho de salsinha, 2 xícaras de agua e levei para cozinhar na pressão por 10 minutos, sem azeite e sem sal.
depois de tudo amolecido e morno, juntei mais 1 xícara de agua para cada vez que bati no liquidificador, bate em duas vezes.
numa panela, refoguei 2 dentes de alho em azeite, e coloquei a batida do liquidificador, salguei e deixei ferver, dissolvi 2 caldos de carne em mais 1 xícara de agua norma, mas poderia ser caldo de legumes, acrescentei, fervi mais um pouco, e servi com os acompanhamentos de sopa.
este creme costumo servir com queijo prato cortado em pequenos circulos.

quinta-feira, 4 de junho de 2009

sopa de feijão

bem, esta foi a outra sopa da noite, com uma massinha para agradar o Mah, a Juh e a Bia


sopa de feijão

bati duas xícaras de feijão rosinha já pré cozido e temperado, com duas xícaras de agua, passei pela peneira e levei ao fogo,acrescentei mais uma xícara de agua, coloquei 2 tabletes de caldo de carne, um galho de salsinha, que foi tirado antes de servir, quando ferveu, coloquei o macarrão.
para esta sopa sempre sirvo uma cumbuca de linguiça calabresa fininha salteada, além dos demais acompanhamento para as sopas.

quarta-feira, 3 de junho de 2009

sopa de ervilhas

adoro sopa, na verdade, nem precisa estar muito frio para eu logo pensar numa sopa e se o tempo está como estes dias, então... já corro fazer as minhas sopinhas, o marido escolhe um vinho na adega, já que faz um bem danado para saúde, aí só foi chamar um casal de amigos para por o papo em dia, jogar cartas... e é claro tomar sopa e um bom vinho sopa de ervilhas

1 xícara de ervilha seca ( deixo de molho em 1 xícara de agua por umas duas horas) depois disto coloco mais 2 xícaras de agua e cozinho na panela de pressão com 4 batatas grandes, 1 cebola inteira e 3 dentes de alho, galhos de salsinha e um fio de azeite, por aproximadamente uns 15 minutos depois que pegar a pressão. espero esfriar, confiro se a ervilha está mole e bato tudo no liquidificador.
normalmente preciso acrescentar mais agua para ficar o creme da jeito que eu gosto.
enquanto a ervilha cozinha, fatio calabresa fininha e dou uma leve refogada, nesta mesma panela coloco a ervilha batida, somente depois de ferver um pouco que costumo salgar, algumas vezes dependendo da linguiça nem sal precisa.

dicas para servir com as sopas:
  • cesta de pães
  • um bom azeite
  • pimenta do reino moída na hora
  • cumbucas de queijo ralado
  • cumbucas de cheiro verde bem picadinho
  • croutons

segunda-feira, 1 de junho de 2009

bolo de polvilho com recheio de calabresa

normalmente costumo fazer pães para o lanche de sábado, mas neste final de semana resolvi mudar um pouco e assei um bolo salgado de polvilho doce, não me arrependi, ficou muito saboroso, apenas tive uma surpresa, meu filho, que gosta de calabresa em tudo, disse que preferia apenas com queijo, acho que é pelo costume, normalmente faço sempre com queijo, tomate e oregano


bolo de polvilho doce

bater no liquidificador
3 ovos
3/4 de xícara de óleo de canola
1 xícara de leite
1 colher de sopa rasa de sal

numa tigela misture

3 xícaras de polvilho doce
1 colher de sopa de fermento em pó
200 gramas de muçarela ralada agregue a batida aos poucos, até ficar uma massa lisa.

unte muito bem uma forma de buraco despeje a metade da massa coloque o recheio, cubra com a massa restante e leve para assar, até corar ou fazer o teste do palito, aproximadamente 35 min em forno médio.

recheio:
  • neste usei duas camadas, uma de calabresa levemente salteada com quadradinhos de cebola e outra com queijo prato ralado no ralo grosso e oregano
  • ou tomates sem peles e sem sementes, cobertos com queijo e oregano
  • misturas de 3 ou 4 queijos
  • com frango desfiado
  • com escarola e ricota









servi quente com requeijão cremoso e manteiga